O impacto do Ecommerce em Portugal

O comércio eletrónico tornou-se um modo de negociação muito popular atualmente. Define-se como a compra e venda de produtos ou serviços por meio online e qualquer pessoa com uma conexão à internet pode começar um negócio de eCommerce. O comércio eletrónico alterou o fluxo de trabalho dos negócios. Desde a sua introdução, teve um impacto impulsivo na sociedade e na estrutura empresarial a nível global.

A Internet tornou-se parte integrante do quotidiano da maioria das pessoas que preferem ficar em casa e fazer transações online em vez de ir ao banco ou comprar produtos nas lojas, porque estão muito ocupadas. 

2020 foi um ano desafiador para todos, devido à pandemia. 2021 revela-se ainda mais desafiador. Ao mesmo tempo, o comércio eletrónico cresce como nunca. O número de vendas de e-Commerce aumenta a cada ano, antecipando os nossos hábitos de consumo.

Vejamos qual o impacto que o eCommerce tem em Portugal nos últimos meses.

O crescimento das vendas online em Portugal

As vendas online B2C em Portugal em 2019 cresceram 20% (mais 3% que o observado em 2018) alcançando um valor total na ordem de 5,9 mil milhões de euros. Para 2020/2021, a expetativa dos retalhistas é de que eCommerce cresça na ordem dos 40% a 60%, como consequência do atual contexto de pandemia e da grande alteração dos hábitos de consumo dos portugueses. 

Segundo os dados do CTT e-Commerce Report 2020, cada vez mais os portugueses têm vindo a aderir às compras online. 51% dos portugueses com acesso à internet fizeram pelo menos uma compra online durante o ano de 2019. Aumentou também o número de compras de produtos neste canal. No final de 2020 o número de compras online situava-se nos 19,5% e o valor médio gasto em cada compra subiu para os 56,6 euros.

Quais os produtos mais vendidos em Portugal

Verifica-se um aumento geral das compras online na maioria dos setores, mantendo-se o “vestuário e calçado” como a categoria onde se fazem mais compras (56%). Seguem-se “eletrónica e computadores” (43%), “higiene e cosmética” (42%), “livros e filmes (33%), “telemóveis” (23%), “utensílios para o lar” (21%), “material desportivo” (29%), “produtos e acessórios para animais” (13%). Nos três primeiros meses da pandemia e de confinamento, destacaram-se com maior crescimento de compras online os setores do “entretenimento, cultura e subscrições”, “comércio alimentar & retalho”, “restauração, food delivery e take away”. Neste momento representam uma grande fatia das transações neste canal, correspondendo a 46% do total de compras, perto dos 52% do primeiro confinamento.

Lojas online com mais sucesso em Portugal

De acordo com a DECO, a maioria dos portugueses (61%) utilizava o OLX para fazer compras online, seguindo-se o Facebook (10%) e o eBay (9%). No entanto, hoje em dia há uma grande diversidade de sites onde se pode fazer compras online em segurança. Estas são algumas das plataformas mais usadas em Portugal, segundo o Observador Cetelem 2019:

  • Sites de marcas e lojas como a Fnac e Worten: 79%
  • Agregadores como a Amazon e o eBay: 60%
  • Sites de classificados: 39%
  • Apps em dispositivos móveis: 19%
  • Redes Sociais: 14%

Dicas para lançar a sua loja online

Para começar a atrair compradores e reter clientes fiéis para o seu eCommerce, aqui ficam algumas dicas para criar uma loja online de sucesso:

  1. Web design elegante e envolvente;
  2. Uma página “Sobre nós” completa;
  3. Faça parceria com outras marcas;
  4. Ofereça excelente suporte online;
  5. Forneça opções de pagamento populares (PayPal, cartão de crédito);
  6. Anuncie nas redes sociais;
  7. Conquiste a confiança do comprador com análises de produtos;
  8. Torne seu site otimizado para SEO;
  9. Certifique-se de que sua loja seja responsiva a dispositivos móveis;
  10. Use fotos de alta resolução;
  11. Oferece políticas generosas de reembolso e garantia de devolução do dinheiro;
  12. Organize sua loja para mais conversões.

Autor: Daniel Sousa

Licenciado em Gestão de Marketing no IPAM, Pós-Graduação em Marketing Digital e Mestrado em Direção Comercial e Marketing e com diversas formações no digital. Atualmente sou consultor na área do marketing e comunicação digital e formador / e-formador na áreas anteriormente referidas.