As 7 tendências que irão marcar as estratégias de marketing digital em 2022

Neste artigo, fique a conhecer as 7 tendências de marketing digital que vão marcar o ano de 2022.

O cenário digital está a evoluir a um ritmo acelerado. Os próximos anos serão muito significativos para os profissionais deste sector, que deverão adoptar novas estratégias. Desta forma, estar informado sobre o aparecimento de novas tendências de marketing digital é fundamental para o sucesso de pequenas e grandes empresas. Neste artigo, fique a conhecer as 7 tendências de marketing digital que vão marcar o ano de 2022.

O poder da Inteligência Artificial (IA)

O ecossistema do Marketing Digital e a experiência do consumidor têm sido altamente influenciados pelo desenvolvimento e a modernização da inteligência artificial. Este progresso tecnológico, que possibilita a simulação de inteligência e do pensamento humano em sistemas e softwares, tem vindo a proporcionar um forte impacto junto das marcas. A IA tem sido cada vez mais adoptada pelas marcas, pois permite a automatizar tarefas básicas, como relatórios sobre o tráfego do site e recomendação de palavras-chave que podem melhorar os resultados de pesquisa, como pode também prever o que os clientes comprarão no futuro com base no histórico de navegação. Deste modo, esta ferramenta apresenta dois elementos importantes no marketing: por um lado, as marcas conseguem compreender o comportamento de todo o público-alvo e optimizar campanhas, por outro, a experiência do consumidor é modificada pela inovação.

 Chatbots

A tendência do marketing conversacional nunca foi tão importante para criar fortes relações entre a marca e o público. Neste tipo de marketing, os utilizadores intercomunicam com as marcas, seja directamente ou por uma experiência humanizada, através de chatbots ou assistentes virtuais. Através desta ferramenta, os chatbots podem recolher informações essenciais do utilizador, e por conseguinte programar uma série de respostas, de modo a que pessoas consigam resolver os seus problemas mais rapidamente. Com um atendimento disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana, as empresas garantem uma maior interacção com os consumidores e assim conseguem gerar mais leads para o seu negócio. Por exemplo, o chatbot poderá instruir que o utilizador preencha um formulário, redigindo o email e em troca do download, o cliente recebe um determinado material que a empresa esteja a disponibilizar.

A funcionalidade da pesquisa por voz 

No mundo do marketing digital, o conceito “voice search” manifesta-se como uma das maiores inovações que estão a ocorrer, algo que influenciará, naturalmente, a maneira como as empresas organizam as suas estratégias de search engine marketing e o seu branding. A nova época marcada pelos assistentes virtuais faz com que, aos poucos, os teclados sejam substituídos por comandos de voz. Assistentes virtuais como a Alexa, Google Home, Siri, Samsung’s Bixby são alguns dos protagonistas que comandam as pesquisas por voz. São constituídos por um conjunto de tecnologias associados à inteligência artificial, machine learning e natural language processing que vão possibilitar fornecer respostas rápidas, elaborar recomendações personalizadas e até produzir previsões de comportamentos. Estes assistentes virtuais são encontrados em diferentes dispositivos inteligentes, tal como televisões, smartphones, carros, entre outros.

O SEO (Search Engine Optimization) tem de se moldar às novas tendências digitais.  O modo como os clientes pesquisam algo por voz é muito diferente da pesquisa por palavras-chave. Neste contexto, os marketers devem adoptar várias técnicas que fortaleçam a presença de empresas no mundo das pesquisas por voz, como por exemplo: utilizar uma linguagem mais simples, focar em long-tail keywords, optimizar conteúdos para featured snippets e optimizar a experiência mobile.

Hiper-Personalização nas plataformas sociais

A estratégia da hiper-personalização continuará a ser um destaque para o ano de 2022. O conteúdo das marcas tem de ser ajustado e customizado a cada consumidor individual, no que diz respeito a preferências, comportamentos dentro das redes sociais, o que mais lhe interessa ou os conteúdos que desvaloriza. É o caso do Spotify. Esta plataforma, após o início de sessão do utilizador, apresenta uma playlist semanal baseada nas preferências do consumidor. Ou o Facebook e a Amazon que apresentam conteúdo, com base no histórico de navegação e compras. Personalizar conteúdos permite à marca destacar-se junto do seu público-alvo. 

Marketing de influência

Esta noção não é novidade entre os marketers, mas as marcas continuam apostar neste modelo de sucesso. Na estratégia de comunicação e marketing, a utilização de influenciadores digitais, com milhões de seguidores nas redes sociais, já comprovou a sua eficácia em atingir elevados números de alcance de audiência.  Por este motivo, o utilizador e seguidor de uma determinada personalidade vai interagir e reagir mais rapidamente a produtos/campanhas divulgados pela mesma. Cada vez mais, os consumidores confiam em recomendações pessoais do que as tradicionais publicidades. 

A ascenção do Vídeo

Na sequência do aparecimento do COVID-19, o conteúdo em vídeo tornou-se o principal meio de comunicação nos canais de marketing digital. Com o aumento de informações às quais temos acesso todos os dias, os vídeos são uma alternativa de consumo de conteúdo mais sintetizado e directo. Um exemplo, são os anúncios interactivos que captam mais a atenção dos utilizadores (quer seja no Facebook, Instagram ou Youtube), deste modo, oferecem mais engagement, melhores taxas de CTR (click-through-rate) e, em última instância, um aumento de leads e de dados de qualidade fornecidos pelos utilizadores.

Conteúdo mais responsivo em dispositivos móveis

Actualmente, o acesso à Internet é feito maioritariamente através de dispositivos móveis, nomeadamente os smartphones ou tablets. Os utilizadores procuram cada vez mais efectuar compras online em plataformas rápidas, funcionais e com a informação devidamente organizada. Daí a origem do conceito “responsividade”, um método de apresentar a informação de igual forma em todos os dispositivos. No ano de 2022, as empresas devem ser capazes de adaptar um design responsivo para os dispositivos móveis em diferentes plataformas, independentemente da resolução de tela. O objetivo desta estratégia consiste em atrair maiores quantidades de tráfego. Na criação de websites, por exemplo, se uma empresa adoptar um layout responsivo, receberá maior destaque e um melhor posicionamento nos motores de busca. 

Por último, prevê-se que em 2022, a personalização, o imediatismo e a interacção serão palavras-chaves essenciais no campo do marketing digital. Neste sentido, a estratégia vencedora e o foco do investimento devem estar espelhados na capacidade de dar respostas rápidas ao mercado de consumidores. Deste modo, comece ainda hoje em idealizar a sua estratégia de marketing e aplique estas tendências que prometem transformar o seu negócio.


Mariana Gonçalves
Mariana Gonçalves

Autora: Mariana Gonçalves

Natural da ilha do Porto Santo rumou viagem até Coimbra e licenciou-se em Comunicação Social.
Comunicadora e curiosa por natureza. Fascinada pelo mundo das viagens, gastronomia, cinema e música.
Actualmente colaboro como freelancer e a minha missão é apoiar os clientes a realizar os seus objetivos profissionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.